28 fevereiro, 2009

Pachamama - Madre Tierra

Dando substância à reflexão de Fernando Pessoa no artigo anterior, estabelecer a ponte de entendimento entre a minha paisagem etérea e a sua materialização não foi tarefa fácil.

Neste caso e como em tantas outras vezes, cheguei ao fim do trabalho com o sentimento de que agora é que estaria verdadeira pronta para o reiniciar.

Criei-o para participar na Convenção Internacional de Pintura em Porcelana do México, em Merida que será inaugurada no próximo dia 03-Março.

É também a minha forma de prestar homenagem aos ancestrais povos Ayamara e Quechua dos Andes da América Central e do Sul. Em seu entendimento, a Pachamama é muito mais que a Mãe Terra, a protectora, a promotora da abundância e da fecundidade ou o planeta físico em si. É antes uma divindade, entendida num “todo” espiritual e integrada no espaço cósmico - a “Tierra Madre” quântica.

Trabalho de Noémia Travassos (42 X 62 cm)

A facilidade ou dificuldade desta criação, aparte a capacidade técnica para a realizar, reside na eleição dos elementos capazes de plasmarem o espírito dessa crença. Se foram os certos ou não... só vós, os que a vão apreciar me poderão dar esse “feed-back”.

Para facilitar a percepção da minha composição artística, faço-vos uma breve síntese do conteúdo dos elementos presentes:

1 - O homem e a mulher, numa posição de yoga, representam a união e o amor universal. Essas qualidades sustentam e alumiam a raça futura representada por um bebé especial (com uma proporção ligeiramente ampliada em relação aos pais).
2 - Os olhos de felino espelhando continentes, representam o reino animal.
3 - Ao centro, uma cascata de energia desce do cosmos e funde-se numa queda de água (segundo os Quechua, as nascentes, as cascatas e os altos picos das montanhas eram os vórtices energéticos da Pachamama).
4 - A cruz celta representa as crenças religiosas e as abóbadas celestes, a espiritualidade.
5 - E por último, uma árvore, a Oliveira, em representação do tempo, da transmutação do pequeno e amargo fruto em algo de valor acrescentado, representando simbolicamente o mecanismo da evolução.

5 comentários:

Manuel disse...

Parabéns pelo simbolismo dos elementos da composição e por nos deliciar com mais uma obra de arte.
beijos
Manuel

Anónimo disse...

Mais uma vez, surpreso fico com o simbolismo desta obra, a que nos tem habituado, nela carrega o futuro a existencia da humanidade, parabens. Um beijo de agradecimento. sempre GIL

Lety Brito disse...

Querida Noemia, realmente espectacular tu trabajo que presentaste en la Convención en México, y tus demás obras también, eres única, Te quiero mucho.

Noemia Travassos disse...

Obg. a todos pela força e carinho que me transmitem.
Isto de criar(sejam imagens ou poesia de alma), vem do profundo de nós e é difícil representar fisicamente o que temos dentro de nós(ou o que somos?).
Quando recebo os vossos aplausos, sinto-me feliz e realizada porque dou-me conta que consegui estabelecer essa ponte de comunicação.
Mais uma vez Obg. pela vossa amizade

Libânia Madureira disse...

A Si, Querida Amiga Noémia, o Meu abraço de gratidão e imensa admiração, a quem à «arte» dá vida.

Mulher poema, Mulher Arte, Mulher Vida!...

Ser Vida
É ser poema
De esperança renascida
Ter Amor como lema
Espírito e corpo de uma liga generosa
Arquitectura Divina e majestosa …

Libânia Madureira